Twitter - PT TocantinsFacebook - PT TocantinsYoutube - PT TocantinsFlickr - PT Tocantins

Notícias

Quinta, 14 Fevereiro 2013 21:49

Grandes Temas: entrevista com Domingos Ferrerira

 

Por Leopoldo Vieira

Disponível em http://juventudeempauta.blogspot.com.br/2013/02/grandes-temas-entrevista-com-domingos.html?spref=fb

 

Grandes Temas: entrevista com Domingos Ferrerira

 

O blog retoma a série de entrevistas com os secretários estaduais da Juventude do PT sobre os temas do seu Conselho Político, que ocorrerá em São Paulo, de 22 a 24 de fevereiro.

Hoje, tenho a honra de conversar com Domingos Ferreira, secretário da JPT do estado do Tocantins.

Na sua opinião, qual deve ser o protagonismo da nova geração da esquerda no processo de integração e soberania sul-americana?

Domingos - Esta região foi dominada durante anos por governos de direita, regimes que eram muito influenciados pelos Estados Unidos, essa transformação numa região de esquerda, de governos do 'povão' indica que a América Latina diminuiu o domínio norte-americano isto retrata o enfraquecimento da direita e o fortalecimento da democracia e da organização da sociedade, e a juventude tem sido protagonista destas transformações sociais. O mais importante desse processo é que a esquerda conseguiu mostrar qual é o seu papel enquanto governo popular. A atuação e as reinvindicações que a nova geração vem exercendo nesse processo, mostra que estamos caminhando na direção certa, estamos mostrando que temos voz e vez, de mudar aquilo que durante anos foi dominado por grandes empresários, que visam apenas interesses pessoais e não coletivo.

Qual o balanço que você faz, por alto, desta década de governo do PT e qual a melhor estratégia para aprofundar as mudanças?

Domingos - Este governo conseguiu mudar a realidade da sociedade brasileira, somos um país respeitado pelos estrangeiros e isso só foi possível graças à bela atuação e trabalho dos nossos presidentes Lula/Dilma.

Enquanto partidário e sociedade costumamos dizer que estamos construindo um novo Brasil, acredito que esse novo Brasil já foi construído e consolidado, com um governo popular e democrático como este dos últimos anos, que busca atender os interesses da classe trabalhadora. Isso é perceptível nas pesquisas, nos ataques da grande mídia e no desespero da direita em tentar derrubar aquilo que agrada e atende as necessidades do povo brasileiro. Recentes Pesquisas indicam o Brasil em 16º lugar em felicidade de sua gente, entre 147 países pesquisados no Gallup World Poll. Os padrões de vida estão mais sustentáveis do que antes, não só por causa do aumento da renda individual do trabalho, mas também pela sua estabilidade, conforme o Ipea.

A melhor estratégia hoje é continuar a governar para a população que precisa, atendendo a classe trabalhadora, levando sustentabilidade, educação e desenvolvimento aonde não chegaram 100%. Temos que trabalhar enquanto partido, militantes e governantes não permitindo jamais que a direita volte a ocupar o comando neste país. Temos que focar também naqueles estados e munícipios onde a direita ainda predomina, não esquecendo também de fortalecer onde o PT já faz o trabalho de construção do país.

Que forma de organização da Juventude do PT precisa para estar à altura do desafio da transição geracional no Partido e para o enfrentamento político em curso no país?

Domingos - Avançamos muito, no 4º Congresso do PT, definimos a participação mínima de 20% da juventude nas direções do partido, abrindo assim um horizonte para a renovação partidária, pois é isso que precisamos renovar e inovar. Temos participação e intervenção nos diversos espaços de debate, intenso de dialogo com os movimentos sociais, mas precisamos ocupar ainda mais aquilo que com tanto esforço conquistamos. Temos os 20% de participação, entretanto a juventude petista ainda é vista não com muita credibilidade quando se fala em ocupação partidária.

Temos que pensar no acompanhamento politico e sobre tudo no financiamento das gestões estaduais e municipais, a falta constate de estrutura para que possamos tocar o politica nessa base ainda é um desafio pra todos os estados. O desafio hoje é diminuir a distância entre a DNJPT, sistematizar a nossa politica ao meu entender é mais que necessária se não vital para o enfretamento politico que estamos vivenciando no Brasil. Só com uma JPT unificada (nacional, estadual, municipal) é que vamos conseguir fazer o enfrentamento político e renovar nosso partido.