Com vigor, PT disputa eleições em mais de 4 mil munícipios

O PT terá candidaturas às prefeituras de 26 capitais, das quais 20 com candidaturas próprias e 6 em coligação com outros partidos. O PT contará com 1.600 candidatos e candidatas disputando às prefeituras, quase o dobro de 2016. Os candidatos e candidatas à vereança chegaram a 21 mil postulantes em mais de 4 mil munícipios

O deputado José Guimarães (PT-CE), coordenador do GTE eleitoral do PT

O balanço preliminar das candidaturas do Partido dos Trabalhadores às eleições municipais deste ano mostrou o vigor da legenda. O PT contará com 1.600 candidatos e candidatas disputando às prefeituras, quase o dobro de 2016. Os candidatos e candidatas à vereança chegaram a 21 mil postulantes em mais de 4 mil munícipios.

“Esses números expressam o esforço político da direção nacional do PT e o grande empenho da presidenta Gleisi Hoffmann (PT-PR) em implementar essa diretriz”, destacou o deputado José Guimarães (PT-CE). José Guimarães coordenou o GTE – Grupo de Trabalho Eleitoral que mobilizou a militância petista em todo o território nacional.

O PT terá candidaturas em 26 capitais, das quais 20 com candidaturas próprias e 6 em coligação com outros partidos. Em cidades com mais 200 mil habitantes, o PT disputará a prefeitura em 57 com candidatura própria e outras 13 em coligação. Em cidades entre 100 e 200 mil habitantes, terá 65 candidaturas próprias e 28 em coligação.

Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT. Foto: Reprodução

As eleições deste ano evidenciam o fortalecimento do PT e o aprofundamento da relação do partido com as demais legendas da esquerda. Em 182 cidades o Partido dos Trabalhadores contará com apoio de outros partidos. Em 47 cidades, o PT apoiará candidaturas de outras legendas.

“Nas eleições de 2016, tivemos 990 candidatos. Nas eleições de 2012, foram 1.800 candidatos. Neste ano, são mais de 1.600 candidatos”, comemora Gleisi. “As eleições de 2016 foram as mais difíceis para nós. Foi um momento muito duro”, disse, lembrando que naquele ano o país sofreu um  Golpe de Estado, com o impechment fraudulento da ex-presidenta  Dilma Rousseff.

Para o PT, o momento é decisivo para promover um amplo debate na sociedade sobre o destino do país. Para isso, o partido apresenta nesta segunda-feira, um plano de reconstrução nacional. Além dos temas locais, o plano é um instrumento para a disputa de rumos para o país.

Da Redação PT Nacional

A pré-candidatura de mulheres trans no interior do Tocantins fala sobre representatividade na política

Houve um crescimento expressivo nas pré-
candidaturas de LGBTQI+, sendo que o PT tem um dos maiores números do país, com 511.

2020 é um ano de mudanças, e as eleições são um reflexo disso. Depois do aumento do conservadorismo e do vislumbre do quão importante é se sentir representado por quem elegemos a partir das suas pautas e planos de governo, os partidos têm trabalhado no apoio das causas que querem verdadeiramente representar.

Por conta desse trabalho, houve um crescimento expressivo nas pré-candidaturas de LGBTQI+, sendo que o PT tem um dos maiores números do país, com 511.

A Secretária Nacional LGBT do Partido dos Trabalhadores investiu nas pautas de enfrentamento da violência contra a população LGBTQI+, o respeito e a promoção da cidadania como temas principais das eleições de 2020 e para todas as suas campanhas.

Essa valorização é demonstrada nos números e, entre as 94 pré-candidaturas transgêneras do partido, nós temos duas mulheres do interior do Tocantins, prontas para garantir seu espaço representativo em seus munícipios.

Juju é filha da ex-vereadora Helena do PT de Wanderlândia, e cresceu rodeada pelo meio político da sua cidade, aprendendo desde cedo a importância de dar assistência a população, “Eu, criança, ainda não sabia o que significava política, mas eu já tinha noção do que era ajudar as pessoas.”

Desde cedo, Juju almejava se candidatar, mas após alguns acontecimentos em Wanderlândia, ela sentiu que era hora de ter uma pessoa que fosse capaz de representar o povo, “Cheguei a conclusão que essa pessoa podia ser eu, que minha vez tinha finalmente chegado.”

Juju, ainda criança, em um dos comícios do PT em Araguaína

“Depois que ficaram sabendo da minha pré-candidatura a vereadora, até pessoas que eu não tenho muito contato tem me apoiado e isso tem se mostrado muito gratificante, aumentou ainda mais o meu desejo de ingressar na política e trabalhar por eles.”, declarou a pré-candidata.

Pré-candidata a vereadora em Wanderlândia, Juju.

A pré-candidata a vereadora Andy, de Paraíso do Tocantins, se envolveu diversas vezes no movimento estudantil da universidade, e depois de formada sempre procurou ocupar o espaço político. “Ocupei lugares de fala como conferências, do plano de resíduos sólidos e participei ativamente da elaboração do Plano Diretor de Paraíso.”, contou.

“Sempre que eu posso, eu acompanho os processos políticos do munícipio. Estou sempre na Câmara Municipal e Prefeitura fiscalizando, reivindicando e ajudando a construir uma cidade mais democrática.”, afirmou Andy. “Por ocupar todos os espaços que eu posso, não seria diferente nessa eleição”

Participação na Conferência Estadual de Saúde em Palmas, onde Andy foi delegada
por Paraíso do Tocantins.

Com o aumento dos simpatizantes a sua pré-candidatura, Andy está empolgada e pronta para defender e dar voz a quem precisa, “Quero lutar contra o autoritarismo, defender a democracia, os Direitos Humanos e o meio-ambiente porque isso é urgente!”

Pré-candidata a vereadora em Paraíso do Tocantins, Andy.

O PT tem um papel importante na vida de ambas, Andy e Juju, “Sou filiada do partido desde 1999 e o PT é do povo, o PT é trabalho.”, expressou Juju, e Andy reiterou, “Tenho afinidades com o partido a muito tempo. O PT luta contra toda forma de preconceito, e isso é uma das minhas bandeiras”.